Assistência técnica aos produtores ajuda a melhorar safra do cacau

Assistências técnicas especializadas ajudam produtores a melhorar qualidade na safra do cacau e otimizar plantios.

O Planeta Campo tem mostrado durante a série de reportagens Cacau: de Ponta a Ponta como o cultivo tem sido importante para a agricultura familiar, e quais as modernizações que os campos passaram para melhorar a safra do cacau.

Porém, um dos grandes gargalhos para os produtores de cacau é a falta de assistência técnica para melhorar os processos durante a safra.

Um problema identificado em toda a cadeia produtiva, mas que começa a dar sinais de mudança.

Como funciona a assistência técnica para produtores?

A Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) passou a ser uma assistência técnica aos produtores que querem melhorar a safra do cacau.

Por meio de cursos e palestras, as assistências garantem que o produtor tenha a melhor orientação desde o começo até a hora da fermentação do cacau.

Mas claro que ainda não resolve. Precisamos de muito mais. Tivemos oportunidade de conhecer produtores que tiveram grande impacto da assistência técnica, diminuindo prejuízos por pragas e doenças e aumentando, até duplicando a renda com essa assistência bem feita”, conta Pedro Ronca, coordenador da CocoaAction.

Crédito rural pode ajudar produtores

Produtores tem assistência técnica para ajudar a melhorar qualidade na safra do cacau

Ronca lembra que é importante que os métodos de plantio do cacau sejam associados aos sistemas agroflorestais para aumentar a renda do produtor.

Nisso, o crédito rural pode fazer uma grande diferença.

“O Brasil tem um plano agrícola muito grande: são R$ 250 bilhões por ano. Mas a cadeia do cacau usa pouco desse crédito. Em 2017, apenas R$ 19 milhões. No ano passado, os produtores usaram R$ 67 milhões”, exemplifica.

O Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) é um dos grandes parceiros para quem produz o cacau.

Ajuda que levou ao topo

Foi com a ajuda da assistência técnica que o casal Verônica e José Renato Preuss, de Brasil Novo (PA), enfrentaram os momentos desafiadores da safra do cacau.

Há alguns anos, a lavoura sofria com ataque de fungos, que faziam com que até 80% dos frutos fossem perdidos — a podridão parda era o principal mal,

“Com a assistência técnica do Senar, fizemos correções na aplicação que fizeram com que a gente plantasse de forma correta, com intervalos adequados. Assim, a perda caiu para até 12%”, lembra José Renato.

“O técnico que nos acompanha deu um direcionamento de como fazer da melhor forma, gastando menos”, conclui Verônica.