Biocombustíveis devem aumentar competitividade frente à gasolina

Senado aprovou PEC para manter vantagem fiscal e tributação menor aos combustíveis vegetais por um período de, pelo menos, 20 anos

O Senado aprovou na última semana uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), que promove a competitividade dos biocombustíveis, como o etanol, em relação aos concorrentes fósseis, como a gasolina. A matéria segue para análise da Câmara dos Deputados

A proposta, de autoria do senador Fernando Bezerra (MDP-PE), tem o objetivo de manter uma vantagem fiscal e uma tributação menor aos biocombustíveis por um período de, pelo menos, 20 anos.

O Brasil é um dos países que mais utilizam biocombustíveis no mundo. E, de acordo com Eduardo Leão, diretor executivo da Indústria de Cana-de-Açúcar (Única), nosso país e os Estados Unidos juntos respondem por 80% da produção e do consumo mundial.

No entanto, outros países já buscam aumentar a produção desse combustível vegetal, o que demonstra que há uma oportunidade muito grande nesse mercado, que está intimamente relacionado aos esforços de descarbonização da economia.

“Você vê iniciativas hoje bastante robustas e ambiciosas na Europa, na Índia. O Reino Unido anunciou um aumento da mistura do etanol na gasolina de 5 para 10%, você vê o interesse muito grande em países da América Latina e também é uma promessa muito grande para vários países da Ásia, inclusive a China”, afirma Eduardo Leão.

Etanol de milho

Etanol de milho

Entre os principais biocombustíveis está o etanol, produzido em maior escala a partir da cana-de-açúcar. No entanto, nos últimos anos, a produção do etanol de milho vem crescendo.

Em 2013/2014 a produção de etanol de milho no Brasil foi de 300 mil litros. Já em 2021/2022 esse número já aumentou para 3,43 bilhões de litros. Confira a evolução da produção ano a ano na imagem abaixo.

Produção do etanol de milho

“O mundo busca hoje matrizes energéticas sustentáveis e o etanol, não tenho dúvidas, sempre vai estar dentro dessa matriz, mesmo que com os carros elétricos ou hidrogênio ou outras tecnologias que venham a surgir. A tendência é que o etanol ganhe sempre uma escala e se mantenha aí firme e forte como uma das grandes matrizes energéticas de combustível do mundo”

Outros biocombustíveis

Além do etanol, o biodiesel e o biogás também são importantes produtos na matriz dos biocombustíveis.

O biodiesel é obtido a partir do esmagamento da soja. Desse processo é extraído o óleo destinado às distribuidoras.

Já o biogás é obtido por meio da decomposição de materiais orgânicos, como dejetos de animais, restos de alimentos e esgoto. Transformando esses passivos ambientais em fonte de energia.