Bioinsumos e tecnologia aumentam produtividade no cultivo da soja

Fazenda no interior de São Paulo saltou de 85 para 108 sacas de soja por hectare com a utilização de bioinsumos.

Bioinsumos e tecnologia aumentam produtividade no cultivo da soja

A soja é um grão fundamental no agronegócio brasileiro. Basta olhar pela janela dos carros nas estradas e rodovias, para ter certeza que ela está ali, principalmente no período de safra. 

Segundo levantamento da companhia nacional de abastecimento, a Conab, o volume de produção de grãos no país é estimado, atualmente, em 254 milhões de toneladas. Mas quais tecnologias podem ser usadas para produzir essa commodity de forma ainda mais  sustentável? A resposta pode vir de um exemplo em Atibaia, no interior de São Paulo.

Broto de soja germinando.

Produtividade

A fazenda Santa Emília fez da tecnologia e da sustentabilidade uma aliada na produção de soja. O produtor Fábio Infantozzi  está a frente da propriedade desde 1984. mas a decisão de  plantar o grão aconteceu há sete anos. são 400 hectares de terras e alta produtividade. 

“A gente reluta no começo para fazer essas ousadias, mas o mercado está aceitando muito bem os biológicos e essa parte orgânica.  Comprovamos as vantagens nos números. A nossa média hoje mesmo nos períodos de seca, é de 85 sacas por hectares.  Em 2018,  foi de 108. Utilizar técnicas sustentáveis vale a pena financeiramente e o retorno é expressivo. Alta produtividade aliada aos preços excelentes que a soja está chegando”, disse. 

Tecnologia 

O último avanço tecnológico na fazenda está no  bioinsumo no Brasil. A relação de consumo equivale a 1 para 60 de defensivos químicos,  uma quantidade ainda pequena. A tendência é que essa relação seja igualada em 2030. De acordo com o consultor técnico, Eliseu Macedo, o diferencial das últimas safras é o manejo biológico. 

“A gente está usando no manejo alguns fungos e bactérias benéficas que melhoram o aproveitamento do solo. É uma tecnologia nova; Aplicamos alguns bacilos e fungos que associados aos químicos melhoram a performance garantindo planta sadia durante todo o ciclo e assim, maior produtividade”, explicou.

Tecnologias e ações sustentáveis trazem uma série de vantagens para o agricultor como o aumento de produtividade e redução de gastos. Um exemplo de que sustentabilidade contribui para a produtividade. 

Assista o programa na íntegra:

Conservação

Para o deputado e presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária,  Sérgio Souza, os bioinsumos podem contribuir para o aumento da  produtividade e também gerar um alimento de excelente qualidade.  

“O Brasil investe muito em tecnologia. Nós fazemos plantio direto na palha, conservação do solo. Um solo mais equilibrado faz com que o país tenha hoje uma das maiores produtividades do planeta, com a maior utilização de tecnologia”, afirmou.

Plantação de soja

Sustentabilidade

O Secretário Adjunto de Inovação e Tecnologia do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Cleber Soares, o país superou as metas acordadas por  práticas descarbonizantes  junto ao acordo de Paris. A meta era implantar sistemas neste formato em 35 milhões de hectares entre o horizonte de 2010/2020 além de  mitigar entre 132 a 160 milhões de toneladas de CO2 equivalentes. 

“Neste horizonte de 10 anos, o Brasil e os nossos produtores rurais deram um show. Em termos de áreas, implementamos práticas descarbonizantes em cerca de 52 milhões  de hectares.  Isso representa o cumprimento de meta da ordem de 146% . Em termos de mitigação, as práticas descarbonizantes da agropecuária brasileira contribuíram  com mais de 170 milhões de CO2 equivalentes, isso representa uma meta comprida de 115%”, finalizou Soares.