Brasil e França assinam termo de cooperação para impulsionar transição energética

O Brasil já tem parcerias, com relação à transição energética, com mais de 20 países, entre eles Estados Unidos, Canadá, Inglaterra e Japão

O Serviço Geológico do Brasil (SGB) e o órgão de Assuntos Internacionais do Serviço Geológico Francês (BRGM) firmaram um acordo de cooperação para o desenvolvimento de projetos conjuntos no campo das geociências.

A parceria abrangerá as áreas de minerais críticos para transição energética, uso do urânio e armazenamento geológico de CO₂ em aquíferos salinos profundos.

Os minerais críticos são aqueles considerados de alta relevância para a transição energética, mas que sofrem restrição de oferta, como o lítio e o cobalto. O urânio é um elemento utilizado na geração de energia nuclear, enquanto o armazenamento geológico de CO₂ é uma tecnologia que visa reduzir as emissões de gases de efeito estufa.

Brasil, França, transição energética

Foto: Serviço Geológico do Brasil

Segundo o SGB, o Brasil já tem parcerias com mais de 20 países, entre eles Estados Unidos, Canadá, Inglaterra e Japão.

O documento foi assinado pelo diretor-presidente do SGB, Inácio Melo, e pelo diretor-geral francês, Jean-Claude Guillaneau, em paralelo à realização da Exposição Nuclear Mundial (WNE, em inglês), em Paris.

A delegação brasileira participa do evento, que reúne representantes do setor de energia nuclear – indústria, academia, especialistas e profissionais – de inúmeras nações a cada dois anos. Nesta edição, o debate é o uso da energia nuclear para fins pacíficos, como geração de eletricidade, aplicação na medicina, pesquisa científica e industrial. O evento ocorrerá de 28 a 30 de novembro na capital francesa.

Por Agência Brasil