Cooperativa aposta em visão 360° do agro e cria polo de inovação

Em Holambra, no interior de São Paulo, há um hub de inovação para levar mais tecnologia ao campo

Por definição o cooperativismo é um sistema baseado na economia solidária, na democracia, na participação, na igualdade de direitos e obrigações. E no ramo do agronegócio não seria diferente e com um adendo: o cooperativismo pode ser o responsável por levar inovações e difusão. E é exatamente isso que acontece na Cooperativa Agroindustrial Holambra, em Paranapanema.

Para a engenheira agrônoma e produtora rural da região, Maira Swart, o cooperativismo tem na força e na inovação o seu diferencial. Foi através da cooperativa que ela conseguiu elevar a produtividade da sua lavoura.

“Há dois anos resolvemos testar uma tecnologia que coloca gás carbônico na semente antes do tratamento, realizamos o experimento em áreas lado a lado e vimos os melhores resultados. O gás carbônico ajudou as plantas a terem uma emergência melhor e ainda um plantio mais uniforme”, contou.

Hub de Inovação

Na Cooperativa os cooperados tem à disposição um galpão onde acontecem o tratamento das sementes, que podem proporcionar um aumento de até 3% na produtividade das culturas.

E para agregar e oferecer mais serviços e inovação aos produtores, recentemente a Holambra lançou um Hub de Inovação chamado Telescope. Neste Hub existem serviços que contemplam toda a jornada do produtor, como a gestão da propriedade, manejo de pragas, logística, concessão de crédito, seguro rural, seguro de maquinários, entre outros.

“Nós olhamos a cadeia do produtor de forma 360° e o objetivo prático do polo é conectar todo o sistema do agronegócio. Além das startups também estamos conectando universidade, empresas de telefonia para maior conectividade no campo, bancos, investidores,  fundos de investimento, fornecedores de insumos. Então, o objetivo é conectar esse ecossistema e trazer pra dentro do hub e junto trabalhar  na melhoria da produtividade, no negócio dos nossos cooperados”, explicou o CEO da Cooperativa, Shandrus de Carvalho.

Acessando a tecnologia

De acordo com Allan dos Santos,  superintendente de TI da Holambra, para que o produtor tenha acesso à tecnologia existem dois meios: o próprio setor de TI ou o Telescope.

“No departamento de tecnologia da informação nós seguimos o planejamento estratégico da cooperativa e vemos quais tecnologias serão mais importantes e prioritárias implementar para atender o cooperado“, explicou.

No Hub as dores dos cooperados também são ouvidas e as mesmas são conectadas com a inovação do mercado.

Agtechs no Brasil

Segundo um estudo da Associação Brasileira de Startups (Abstartups) o Brasil tem mais de 12.600 startups, das quais 1.500 são agtechs e 48% localizadas no estado de São de Paulo. Isso revela o crescimento e a importância dessas empresas de inovação no mercado brasileiro.

Para Maíra, toda tecnologia que traz produtividade e faz uso racional dos insumos “Agrega para todos a cadeia”.