COP 28: líderes mundiais sinalizam fim dos combustíveis fósseis, mas sem urgência

Documento final da COP, também, não cita ações para a agricultura no enfrentamento das mudanças climáticas

Os líderes mundiais deram uma sinalização clara de que é preciso decretar o fim da era dos combustíveis fósseis na 28ª conferência do clima da Organização das Nações Unidas (ONU), a COP28, que terminou na quarta-feira (13) em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos.

Pela primeira vez, o acordo final da COP incluiu linguagem sobre o abandono gradual dos combustíveis fósseis, um passo importante para enfrentar a crise climática. No entanto, os países não chegaram a um consenso sobre qual urgência adotarão para deixar de usar o petróleo, o carvão e o gás em seus sistemas energéticos.

COP: documento final

indústria, COP

Foto: Envato

A Conferência das Partes (COP28) sobre mudanças climáticas apresentou avanços ao estabelecer um plano de ação fundamentado em dados científicos. O plano visa reduzir emissões, promover adaptações e garantir financiamento global, mantendo o foco na meta crucial de limitar o aquecimento global a 1,5°C.

Destaca-se, do documento, a mobilização de mais de 85 bilhões de dólares em novos compromissos financeiros e o lançamento da ALTÉRRA, considerada a maior plataforma de investimento privado para soluções climáticas.

Apesar desses avanços, a COP28 revelou desafios. O equilíbrio de interesses entre diversos stakeholders e a urgência de ações imediatas para enfrentar a crise climática emergiram como pontos críticos. Além disso, a implementação efetiva dos acordos alcançados permanece como uma dificuldade.

Documento final, também, não cita ações para a agricultura no enfrentamento das mudanças climáticas.

Assim, a comunidade internacional enfrenta a tarefa crucial de transformar consensos em ações tangíveis, superando barreiras para garantir um futuro sustentável diante das mudanças climáticas.