Mercado de cosméticos naturais cresce no Brasil aliado ao agro e à sustentabilidade

Muitas vezes associado apenas com a produção de alimentos o agronegócio vem se expandindo cada vez mais por outros setores, entre eles o setor de cosméticos

Mercado de cosméticos naturais cresce no Brasil aliado ao agro e à sustentabilidade

Agronegócio é o termo utilizado para fazer referência ao contexto social e espacial da produção agropecuária, incluindo todos os serviços, técnicas e equipamentos a ela relacionados, direta ou indiretamente.

Muitas vezes associado apenas com a produção de alimentos, o agro vem se expandindo cada vez mais por outros setores, entre eles o setor de cosméticos.

Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec), o Brasil é o terceiro maior consumidor de produtos de beleza do mundo. Para que os produtos sejam produzidos, o agro é extremamente importante por exemplo com a produção de ativos naturais, como óleos e manteigas vegetais e também de óleos essenciais.

Um exemplo disso é o café, que além de ter seu grão vendido como alimento, também se encontra presente no mundo dos cosméticos principalmente por suas propriedades antioxidantes e com seus aromas.

Mercado

Nos últimos anos, a busca no mercado de beleza por cosméticos autênticos e naturais aumentou.

De acordo com um estudo da Grand View Research, o mercado de cosméticos naturais, a nível global, deve atingir o valor de 48 bilhões de dólares até 2025, um aumento de 5,01% em comparação a 2019.

Acredita-se que este movimento se dá por uma preocupação atual, especialmente das novas gerações, com os ingredientes que são usados nos produtos consumidos. Sendo que uma das grandes questões é com relação à origem dos ativos, se eles são naturais e de qualidade superior. Além disso, também envolve os impactos ambientais que os ingredientes usados podem trazer e a preocupação com o que entrará em contato direto com a pele de quem consome.

Por isso, cada vez mais os cosméticos naturais são uma opção vantajosa tanto para quem produz a matéria-prima quanto para quem vende o cosmético, já que é uma relação boa para ambos os lados.

Sustentabilidade

Falando de sustentabilidade, o mercado de cosméticos naturais é altamente sustentável, já que prioriza o uso de insumos vindos de práticas como a preservação da vegetação nativa, a rotatividade de culturas e até mesmo a apicultura.

A importância da biodiversidade para esse mercado é enorme. No Brasil, por exemplo, onde há tantos biomas diferentes, a preservação do meio ambiente é essencial para que hajam insumos a serem utilizados na produção dos cosméticos naturais e já existem muitas iniciativas locais buscando conhecer os benefícios das plantas nativas para aumentar a oferta de insumos nacionais para a produção de cosméticos.

Todos esses fatores fizeram com que Marina Sant’Anna começasse sua própria marca de cosméticos naturais, a Nua Honest Care. A base da formulação de seus produtos naturais vem da exploração saudável da floresta Amazônica. Os óleos e manteigas amazônicos como o cupuaçu e o tucumã são a base para a criação de suas fórmulas que aliadas a óleos essenciais devolvem a saúde para a pele enquanto fomentam a agricultura sustentável e a dignidade da população ribeirinha.

Acredito que a natureza provê tudo aquilo de que precisamos. É por isso que acredito que fazemos parte da natureza e busco fomentar cuidados pessoais enquanto cuidamos e respeitamos o ambiente no qual habitamos

A marca então vem se expandindo e obtendo seus insumos naturais com produtores que incentivam o cultivo e a preservação da Floresta Amazônica de forma que gere renda para a população ribeirinha nativa da região.

Ainda de acordo com Sant´Anna a real sustentabilidade é aquela que tem um olhar amplo sobre os cuidados, sobre a restauração e a regeneração da sociedade e da biodiversidade.

produtos

Foto: Nua Honest Care

“Por isso busco parcerias com empresas que trabalham com a extração sazonal de espécies silvestres que crescem naturalmente na Floresta Amazônica, onde não são usados pesticidas nem fertilizantes. Dessa forma, também se proporciona um sustento saudável e digno para a população ribeirinha que é incentivada a cuidar e a manter a floresta de pé. É o olhar cuidadoso e afetuoso à população local e à natureza que traz a verdadeira sustentabilidade,” afirma.

Já falando da qualidade dos produtos, a dona da Nua afirma que os produtos naturais estão conquistando cada vez mais os clientes que percebem a qualidade da matéria-prima utilizando os cosméticos no dia a dia.

“Nossas clientes percebem que produzimos mais que um produto de aroma e textura agradável. Nossa meta é devolver a saúde às nossas peles e cabelos usando insumos naturais ricos em nutrientes que promovem a regeneração e hidratação. Ou seja, são produtos que trazem toda a potência da natureza para nossos momentos de cuidados com o corpo,” diz.

Um excelente exemplo é o Óleo de Copaíba,  produto 100% natural vindo da Amazônia silvestre. Há muitos anos ele é utilizado pelos nativos para cuidar e tratar de diversas questões cutâneas, desde psoríases até problemas com caspas.

“Quem usa gosta dos resultados e dos benefícios do uso de produtos naturais que além de cuidar dos nossos corpos cuidam também da preservação da natureza,” destaca.

Sant´Anna acredita por fim que há uma grande oportunidade e lacuna a ser preenchida pelo agro no aumento do cultivo de espécies nativas brasileiras para oferta de insumos naturais para a indústria cosmética, principalmente para os pequenos e médios produtores. Além disso, enxerga nesse aumento de interesse do agro por essa fatia do mercado a oportunidade de uma parceria real, saudável e sustentável que trará benefícios à toda a sociedade.