“É possível reter carbono no solo através das raízes das pastagens”, afirma Embrapa

Melhoramento genético, suplementação a pasto, bem-estar, ferramentas de gestão, entre outras técnicas, são fatores que contribuem para aumentar a produtividade

A pecuária está relacionada à emissão de gases de efeito estufa em função do processo natural de fermentação entérica decorrente dos processos digestivos dos ruminantes. Assim, os sistemas de produção de carne têm sido motivo de estudos e discussões no setor nos últimos anos. 

O chefe-geral da Embrapa Pecuária Sudeste, Alexandre Berndt, conversou com a equipe do Planeta Campo sobre o tema.

Segundo o especialista, existem, neste momento, duas formas principais de mensurar o metano emitido pelos bovinos. “Um sistema de canos e cangas colocados no animal, como um cabresto.  A técnica foi patenteada  em 1993 e é utilizada há mais de vinte anos. Uma segunda técnica é um equipamento vinculado a um coxo. O animal vai até o coxo e o equipamento faz a mensuração”, explicou. 

Como reduzir as emissões?

Berndt falou  ainda sobre as formas de reduzir essas emissões.

“Podem ser usados aditivos na alimentação de animais em confinamento ou pastagens melhoradas. Tudo isso faz com que a absorção do rúmen produza menos metano. Além disso, a utilização de uma série de tecnologias que melhoram a eficiência do sistema de produção como o melhoramento genético, a suplementação a pasto, o bem-estar, ferramentas de gestão. Ou seja, um conjunto de tecnologias e conhecimento para tornar a atividade mais eficiente”, ressaltou.

Para finalizar, o chefe-geral da Embrapa Pecuária Sudeste comentou sobre formas de compensar a emissão de metano.

Para Alexandre, a compensação dessas emissões é uma característica muito forte em ambientes tropicais como o Brasil.

“Em qualquer lugar de produção tropical, é possível reter carbono no solo através das raízes das pastagens. Acima disso,  você pode incorporar  árvores no sistema, por exemplo, a  integração lavoura-pecuária-floresta.  Essa prática acumula o carbono nas pastagens,  promovendo a compensação daquilo que foi emitido pela fermentação entérica”, afirmou.