Embrapa amplia mensuração da pegada de carbono na agricultura

Outra novidade da ferramenta é considerar o uso da terra na emissão de carbono. Ao todo 66 culturas foram contempladas com o estudo.

Com um mercado consumidor cada vez mais exigente e normas ambientais mais duras, produzir e consumir com sustentabilidade passou a ser assunto muito sério e acessível a todos. E para contribuiur para o novo cenário, a Embrapa atualizou recentemente o método BRLUC (Brazilian Land Use Change), um aplicativo que disponibiliza os dados da pegada de carbono de vários produtos do agronegócio.

A Ferramenta

Chamada de BRLUC 2.0 a novidade da ferramenta é que a mensuração da pegada de carbono passa a acontecer em nível municipal, para todo Brasil e ainda considera a mudança do uso da terra, fator responsável por 66% das emissões de gás carbônico só em 2020.

pegada carbono

“Essa atualização mede a mudança do uso da terra, que pode responder por até 90% da emissão de carbono de um produto agrícola”, explica Renan Novaes, analista da Embrapa Meio Ambiente.

Ainda de acordo com Novaes, o grande ineditismo da atualização está na disponibilização de dados para 66 lavouras do Brasil. “E também possibilitamos para os produtores que ele consulte para ver como é a pegada de carbono de  determinada cultura no município dele”.

Para além dos produtores

Os dados disponibilizados pelo aplicativo também são muito solicitados em protocolos internacionais. E outro grande diferencial é que com a ferramenta é possível analisar o uso da terra no passado e a diferença de estoque de carbono entre o uso anterior e o atual.

“Essa atualização associou a agricultura à emissão de carbono por mudança no uso da terra e já sabemos que 81% do total emitido se deve às pastagens plantadas“, pontuou.

A ferramenta está disponível através do  link e pode ser acessada tanto por produtores, quanto pelo público que tiver necessidade ou interesse pelo tema.