Embrapa desenvolve Zoneamento Agrícola de Risco Climático (ZARC) para pecuária de corte

O Zoneamento Agrícola de Risco Climático (ZARC) é uma ferramenta desenvolvida pelo governo brasileiro, para auxiliar agricultores e produtores rurais na tomada de decisões sobre o plantio de culturas agrícolas

O Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), em colaboração com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), está investindo recursos para desenvolver um Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc) inovador destinado à produção forrageira para pecuária de corte.

A pecuária de corte, uma das principais atividades econômicas do Brasil, enfrenta atualmente desafios significativos. Com a crescente demanda por carne bovina e a redução das áreas de pastagens nas últimas duas décadas, torna-se fundamental aplicar maior eficiência ambiental aos processos produtivos.

Neste contexto, a tecnologia se torna uma aliada essencial para alcançar resultados mais eficazes. O Zarc da produção forrageira para a pecuária se baseia na combinação de informações sobre clima, solo, plantas e animais para criar um modelo de previsão da produtividade das pastagens.

De acordo com Jônatas Pulquério, Diretor de Gestão de Risco do Mapa, o Zarc para a produção forrageira na pecuária é resultado da parceria entre o Mapa e a Embrapa, destacando a importância da pesquisa científica para aumentar a eficiência ambiental e impulsionar a evolução da pecuária brasileira.

O que é o ZARC?

O Zoneamento Agrícola de Risco Climático (ZARC) é uma ferramenta desenvolvida pelo governo brasileiro, por meio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), para auxiliar agricultores e produtores rurais na tomada de decisões sobre o plantio de culturas agrícolas com base nas condições climáticas de uma determinada região.

O principal objetivo do ZARC é reduzir os riscos climáticos associados à agricultura, fornecendo orientações sobre o melhor período de plantio de diferentes culturas em regiões específicas do Brasil. Essas orientações são baseadas em estudos científicos que consideram variáveis climáticas, como temperatura, precipitação e umidade do solo, e levam em conta o ciclo das culturas e seus requisitos específicos para um desenvolvimento saudável.

As principais características e finalidades do ZARC são as seguintes:

  1. Personalização por Região: O ZARC leva em consideração as condições climáticas específicas de diferentes regiões do Brasil, reconhecendo que o país possui uma ampla diversidade climática.
  2. Redução de Riscos: O ZARC ajuda a reduzir os riscos de perdas na agricultura devido a eventos climáticos adversos, como secas, enchentes, geadas e outros fenômenos que podem afetar a produção agrícola.
  3. Aumento da Eficiência Agrícola: Permite que os agricultores otimizem o uso dos recursos, como sementes, fertilizantes e água, plantando no momento mais adequado.
  4. Sustentabilidade Ambiental: Contribui para a gestão sustentável da terra, ajudando a evitar práticas agrícolas inadequadas que podem levar à degradação do solo e à perda de biodiversidade.
  5. Apoio à Tomada de Decisões: O ZARC fornece informações claras e confiáveis que ajudam os produtores a planejar o cultivo de suas lavouras de forma mais informada.
  6. Integração com Seguro Agrícola: O ZARC também é usado como referência para a definição de políticas de seguro agrícola, garantindo que os agricultores tenham acesso a coberturas apropriadas para os riscos climáticos.

É importante ressaltar que o ZARC é atualizado anualmente com base nas condições climáticas observadas e nas previsões meteorológicas. Os agricultores podem acessar as informações por meio do site oficial do MAPA ou de outras fontes autorizadas, garantindo que estejam sempre tomando decisões informadas e alinhadas com as condições climáticas de sua região.

Zoneamento Agrícola de Risco Climático (ZARC) para pecuária

Embrapa, ZARC

Foto: Mapa

O Zarc para a pecuária é mais complexo do que o zoneamento para culturas agrícolas, pois envolve um componente adicional: o animal.

Para desenvolver esse Zarc, está sendo criado um modelo matemático capaz de simular a capacidade de suporte das pastagens, o risco associado e a necessidade de suplementação alimentar dos animais.

Isso é feito com base em dados climáticos de longo prazo e informações sobre as características do solo. O balanço entre o crescimento das pastagens e a demanda por alimentos pelos animais é fundamental na identificação dos riscos climáticos.

Os resultados do Zarc para pecuária permitirão determinar a taxa de lotação crítica das pastagens em cada município, bem como os meses com maior risco de escassez de alimentos devido à taxa de lotação animal utilizada.

Inicialmente, o Zarc será aplicado ao capim-marandu, a forrageira mais comum no Brasil, especialmente no Cerrado e nas regiões Nordeste e Sudeste da Mata Atlântica. Esses resultados serão validados pela Embrapa, instituições de pesquisa parceiras e pelo setor produtivo por meio de reuniões.

No futuro, a pesquisa poderá ser expandida para incluir novas forrageiras e regiões do país, ampliando assim a sua aplicabilidade e impacto na gestão sustentável da pecuária.

Reduzindo riscos e promovendo sustentabilidade

estudo_-gado_-pecuária_-leite_-carbono_-sistema_-árvores_carbono

Foto: Gisele Rosso/Embrapa

O Zarc, coordenado pelo Mapa e executado pela Embrapa com o apoio do Banco Central do Brasil, já forneceu resultados indicativos sobre as épocas de cultivo com menor risco climático para mais de 60 sistemas produtivos no Brasil.

Essas informações são cruciais para facilitar o acesso ao crédito agrícola e atender aos requisitos do Programa de Garantia da Atividade Agropecuária (Proagro) e do Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR).

O Zarc se destaca como uma ferramenta essencial para reduzir os riscos econômicos na agropecuária e minimizar perdas de ordem econômica.

Aplicativo Plantio Certo

Produtores rurais e outros agentes do agronegócio podem acessar as informações oficiais do Zarc de forma prática por meio de tablets e smartphones. O aplicativo móvel Zarc Plantio Certo, desenvolvido pela Embrapa Agricultura Digital (Campinas/SP), está disponível nas lojas de aplicativos.

Os resultados também podem ser consultados e baixados por meio da plataforma “Painel de Indicação de Riscos” e nas portarias de Zarc por estado.