Governo pretende aumentar faixa de fronteira da Amazônia Legal

O plano, intitulado “Plano Amazônia: Segurança e Soberania (Amas), tem como objetivo combater crimes na região, especialmente os de cunho ambiental

Em um esforço para fortalecer a segurança na região amazônica, o governo brasileiro está considerando expandir em aproximadamente cem quilômetros a faixa de fronteira com os países vizinhos.

O Ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, destacou que essa medida está respaldada pela autorização constitucional que permite a atuação das Forças Armadas nas faixas de fronteira, tradicionalmente compreendidas como 150 km da linha fronteiriça para dentro do território nacional.

O plano, intitulado “Plano Amazônia: Segurança e Soberania (Amas)”, foi apresentado durante uma cerimônia na qual o Ministro Flávio Dino participou. O Amas tem como objetivo combater crimes na região, especialmente os de cunho ambiental.

fundo amazônia, amazônia, desmatamento

Foto: Envato

A proposta inclui a implantação de 34 bases integradas que abrangerão as Polícias Federal e estaduais. Desse total, 28 serão bases terrestres, seis serão bases fluviais e dois centros de comando.

Adicionalmente, haverá um centro de cooperação internacional liderado pela Polícia Federal, convidando as polícias dos países da Amazônia, e outro centro de comando da Força Nacional responsável pelas operações ambientais, ambos com sede em Manaus e coordenando as forças que atuarão nos nove estados da Amazônia Legal.

O investimento destinado às ações do plano Amas é de R$ 2 bilhões, oriundos do Fundo Nacional de Segurança Pública e do Fundo Amazônia.

Esses recursos serão utilizados para a implantação de infraestruturas e aquisição de viaturas, armamentos, helicópteros, caminhonetes, lanchas blindadas e outros equipamentos essenciais para o efetivo desempenho das operações.

floresta Amazônica, desmatamento

Foto: Agência Brasil

Com a ampliação da faixa de fronteira e o fortalecimento das forças de segurança, espera-se um avanço significativo no enfrentamento dos desafios enfrentados na região.