Ícone do site Planeta Campo

ILP aumenta faturamento de fazendas em R$ 32 milhões

ILP SLC | Planeta Campo

A Integração Lavoura-Pecuária (ILP) continua mostrando sua eficiência para aumentar a produtividade, reduzir os impactos ambientais e melhorar a rentabilidade dos negócios. Dessa vez, os benefícios da técnica estão sendo percebidos no grupo de fazendas administradas pela SLC Agrícola. Na safra de 2021, a produção de grãos e cereais do grupo ficou acima da média nacional em 15,4% para o cultivo de soja e em 34,4% para o milho de segunda safra com a adoção do sistema. Além disso, nas dez fazendas da SLC que adotaram o sistema, o faturamento aumentou em mais de R$ 32 milhões.

O ciclo virtuoso proporcionado pela ILP explica esses resultados. “A qualidade do solo, a saúde do solo é melhor, uma vez que você tem a incorporação de matéria orgânica através da braquiária, então você tem também toda a parte do animal fazendo pastejo, isso faz com que as raízes das gramíneas elas desçam mais, fazendo mais galerias no solo, melhorando a matéria orgânica, melhorando a porosidade do solo, proporcionando posteriormente uma lavoura melhor, uma soja bem mais saudável, uma colheita bem melhor”, explica Marcos Marinho, coordenador de pecuária da Fazenda Paiguás, que é uma das propriedades do Grupo SLC Agrícola.

A área dedicada a Integração Lavoura-Pecuária na propriedade ultrapassa os 1.500 hectares com mais de 4 mil animais e também ajuda a mitigar as emissões de metano dos bovinos. “Além do pastejo que estimula o crescimento das raízes, nós temos toda a parte de adubação que é feita pelo próprio animal. Então eu tenho toda essa parte de distribuição de matéria orgânica dentro do solo e toda essa área que o animal está ali, ele está fazendo todo um sequestro também através da planta. Uma vez que eu tenho o estímulo da planta em crescer, ela está fazendo o sequestro ali de nitrogênio no solo, ela está depositando mais nitrogênio no solo, afirma Marinho.

Além da ILP, o grupo também se preocupa com a rastreabilidade dos animais, prática que confere às fazendas e facilita os negócios. “Na hora da venda, o cliente também nos procura por essa rastreabilidade das nossas unidades e eu informo que o nosso fornecedor também é rastreado. Então nisso eu consigo até fazer uma venda mais rápida, porque o cliente vê com outros olhos os fornecedores que já vêm rastreando o gado desde a origem desse gado”, conta Marcelo Linka, coordenador comercial de pecuária na Fazenda Paiaguás.

Outro aspecto importante para os negócios do grupo é a situação legal das fazendas parceiras. “Hoje a gente busca gado de produtores onde é feita uma homologação. Se levanta a documentação, que é o CAR e a APF, que são o Cadastro Ambiental Rural e a Autorização Provisória de Funcionamento, (…) encaminha para uma equipe lá na matriz que faz a homologação dessa propriedade e aí, voltando da matriz a homologação, aí a gente tenta fidelizar esses produtores para ser parceiros nossos ao longo da atividade”, conclui Marcelo.

Confira a reportagem completa abaixo:

ILP aumenta faturamento de fazendas em R$ 30 milhões

Sair da versão mobile