Incêndios florestais: fazendas combatem queimadas na época mais seca do ano

Confira dicas para evitar o fogo em propriedades rurais

A estação mais seca do ano já chegou em praticamente todo o Brasil e com ela vem também a preocupação com os incêndios florestais. Como no inverno chove menos, a umidade relativa do ar diminui e favorece a incidência do fogo.

Por isso, muitas fazendas em todo o país já possuem os equipamentos necessários e uma equipe de colaboradores preparados para conter as queimadas, se necessário. Esse é o caso da Fazenda Planalto, do Grupo SLC Agrícola, localizada em Mato Grosso do Sul.

Por lá, é feito um monitoramento online sobre o risco de fogo a partir de informações de temperatura, umidade e vento captadas pela estação meteorológica da propriedade. Além disso, também há no local caminhões equipados para o combate à incêndios com capacidade de 12.500 litros de água.

Além disso, Flávio Oliveira, coordenador de Saúde e Segurança Ocupacional da propriedade, dá três dicas que ele considera essenciais para evitar que o fogo se alastre nas fazendas. Confira:

Dicas para evitar incêndios na fazenda

Incêndios florestais: fazendas combatem queimadas na época mais seca do ano

Fazenda Pantanal, do Grupo SLC Agrícola, tem caminhão com capacidade 12.500 litros de água para combate aos incêndios

1. Conhecer os vizinhos

“Você tem que conhecer a área do vizinho porque às vezes o incêndio pode chegar na tua área vindo de outro ponto ou passando pela propriedade do vizinho e vir até você ou de você para ele. Então conhecer os vizinhos, conhecer o terreno, saber se tem uma área de reserva, o que se planta ali, se tem uma inflamabilidade ou facilidade de esse fogo se alastrar para outros pontos. A comunicação é importante”.

2. Técnica de aceiramento

A técnica de aceiramento é muito utilizada na região centro-oeste do Brasil para combater o fogo em propriedades rurais.

“A gente faz um preparo chamado de aceiro. A gente utiliza um trator com a grade. Aquela matéria seca que está ali vai ser triturada e é incorporada ao solo. Então, em mais ou menos uma metragem de 30 a 50 metros dentro da lavoura, seria um controle tanto desse fogo vindo do Cerrado como da lavoura indo para o Cerrado, a gente consegue ter uma área onde a gente consegue fazer esse controle, fazer o combate. Então até ali o fogo vai se acabar e a gente consegue ter esse controle de não deixar o fogo de alastrar de ambos os lados de onde ele venha”.

3. Uso de abafadores

Uma das ferramentas muito úteis para combater o fogo são os abafadores. Inclusive, eles podem ser feitos de material reciclável. Basta pegar um cabo de madeira e uma placa de borracha, por exemplo, para fazer o material em qualquer propriedade.

Dados sobre incêndios florestais no Brasil

Segundo o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, em 2021, 892 mil hectares foram consumidos pelo fogo no Brasil. O dados representam uma diminuição de 24% em relação ao registrado em 2020, quando o fogo atingiu mais de 1 milhão de hectares.

O bioma mais afetado foi o Cerrado, que teve quase 700 mil hectares queimados no último ano. O segundo bioma que mais perdeu floresta para o fogo foi a Amazônia, com quase 150 mil hectares. Já o Pantanal e os Pampas não registraram incêndios no ano passado.