Pará prepara qualificação profissional para COP 30

O objetivo do plano é capacitar uma grande parcela da população do Estado, tanto para o período pré-COP, como durante a COP e para o pós-COP também

O Governo do Pará está elaborando estratégias de preparação para a Conferência das Partes (COP) 30, maior evento do Clima Global, que será realizado em novembro de 2025 na capital paraense, Belém.

Na manhã da última quarta-feira (17), representantes de 16 instituições estiveram reunidos no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), para discutir a construção do Plano de Formação e Qualificação e Capacitação Profissional para a COP 30.

O objetivo do plano é capacitar uma grande parcela da população do Estado, tanto para o período pré-COP, como durante a COP e para o pós-COP também.

“A ideia é focar, principalmente, naqueles cursos que possuem algum tipo de ligação com as áreas de conhecimento necessários para melhor atender os visitantes durante o período do evento”, explica Victor Dias, titular da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (SECTET).

Na reunião, o coordenador de projetos da Fundação Getúlio Vargas (FGV), André Coelho, apresentou diagnósticos e soluções referentes à capacitação e à preparação do setor de turismo para o período da COP 30.

“Além de mostrar os dados referentes à capacitação, a ideia é também ouvir as instituições do Estado, para discutir os próximos passos da construção desse Plano, que, sem dúvidas, deixará um legado para a mão de obra paraense”, explica.

A reunião contou com a presença de representantes do estado, como a SECTET, Secretarias de Turismo do Estado do Pará (Setur) e de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster), Universidade Estadual do Pará (UEPA), além do Sebrae, SESC, Senai, Sesc, Senac, ACP, Fiepa, Abrasel, ABH, ABV, Singtur e Boreal.

Agora, o próximo passo é a criação de um grupo de trabalho para a construção do Plano que foi debatido no encontro de hoje.

Turismo pré-COP

Pará, COP

Foto: Semas

Segundo o titular da Setur, José Eduardo Pereira, a expectativa da pasta é poder disponibilizar, cada vez mais, ao longo de 2024, cursos de qualificação. No ano passado, a Setur firmou um convênio junto ao Ministério do Turismo visando fortalecer a execução de novas capacitações.

“Integrar instituições que têm a mesma intenção é fundamental para desenvolver a estratégia de qualificação dos paraenses. Conseguir disponibilizar mão de obra capacitada é um dos grandes legados que a gente vai deixar para a população no pós-COP 30. Visto que o conhecimento é algo que ninguém nos tira, poder garantir a oportunidade à população de ter uma profissão, uma qualificação, é de extrema importância”, pontua.

Educação

Pará, COP

Foto: Semas

O reitor da UEPA, Clay Chagas, que também participou da reunião, afirma que a COP 30 já é uma realidade e que com isso, o Pará será uma vitrine para o mundo.

“Nesse processo, a Universidade tem um papel importante, por ser formadora e produtora de conhecimento. Essas reuniões são fundamentais para entender melhor as necessidades da população e nos prepararmos para fazer melhor COP da floresta, a melhor COP de todos os tempos”, ressalta.

Empreendedorismo

Pará, COP

Foto: Semas

O diretor-superintendente do Sebrae no Pará, Rubens Magno, afirma que a instituição está alinhada com a estratégia do Governo e, desde o ano passado, trabalha no fortalecimento de qualificações, com a criação da Agência Sebrae COP 30.

“A forma como o Governo está conduzindo essa preparação é fundamental para que o Estado avance. Nós definimos, em conjunto, o trabalho baseado em quatro eixos principais, como mobilidade urbana, alimentos e bebidas, hospitalidade e criações culturais. Com esses focos, conseguiremos mostrar a nossa identidade”, assegura Rubens Magno.

Impactos esperados

O plano de qualificação profissional para a COP 30 é esperado trazer diversos impactos positivos para o Pará, incluindo:

  • Aumento da qualificação da mão de obra paraense;
  • Geração de empregos;
  • Melhoria da qualidade dos serviços turísticos e de atendimento aos visitantes;
  • Divulgação do Estado do Pará para o mundo;
  • Posicionamento do Pará como referência em sustentabilidade e clima.

A COP 30 será o primeiro evento da série a ser realizado na América Latina. O evento deve reunir representantes de mais de 190 países para discutir as ações necessárias para combater as mudanças climáticas.