Rastreabilidade da pecuária é garantia de competitividade ao produtor, diz Helder Barbalho

Barbalho destacou, também, durante painel na COP 28, a importância da rastreabilidade para a garantia da sustentabilidade da pecuária

O governador do Pará, Helder Barbalho, reforçou nesta terça-feira (5) os objetivos do programa de rastreabilidade da cadeia da pecuária, anunciado pelo estado na COP 28, em Dubai. O programa, pioneiro no país, tem como um de seus objetivos centrais garantir a competitividade dos produtores paraenses no mercado nacional e internacional.

Em discurso durante o painel “Sistemas agroalimentares: cadeias produtivas sustentáveis, bioeconomia e inclusão produtiva”, no pavilhão do Consórcio dos Governadores da Amazônia Legal do Brasil, Barbalho destacou a importância da rastreabilidade para a garantia da sustentabilidade da pecuária.

“O objetivo é que o consumidor e a indústria da carne saibam de quem estão comprando e consumindo. Para isso, o estado firmou parceria com o fundo Besos e com o fundo JBS, aportando R$ 123 milhões para iniciar o processo”, disse o governador.

O programa prevê a identificação individual de todos os animais da cadeia da pecuária, desde o nascimento até o abate, registrando todas as ocorrências relevantes ao longo de sua vida.

“O produtor ganha mostrando as suas boas práticas e com isso ganha também em competitividade e se habilita a vender para o mercado internacional, gerando demanda e, acima de tudo, agregando valor”, afirmou Barbalho.

Metas

rastreabilidade, pecuária, Helder Barbalho

Foto: Agência Pará

O governador também adiantou que o Pará apresentará metas para sistemas agroalimentares a serem cumpridas até a COP 30, em 2025.

“O Pará apresentará no dia 8 as suas metas a respeito dos sistemas agroalimentares, com foco na agricultura regenerativa do Estado”, disse.

O Pará é o segundo maior produtor de carne bovina do Brasil, com um rebanho de cerca de 21 milhões de cabeças.