Seminários Inovação e Sustentabilidade no Cooperativismo discutem importância da união

Importância do cooperativismo e da união para sustentabilidade dominaram discussões no Seminários Inovação e Sustentabilidade no Cooperativismo

Em mais uma etapa dos Seminários Inovação e Sustentabilidade no Cooperativismo, realizados pelo Canal Rural na Organização das Cooperativas de Minas Gerais, o principal tema é a importância que o próprio cooperativismo tem para causar a transformação no campo.

“O conhecimento nas nossas gavetas não significa nada. A gente precisa que esse conhecimento seja levado ao produtor rural, e é por isso que a cooperativa tem um papel fundamental nesse processo e que a sustentabilidade aconteça na prática”, diz Alexandre Berndt, chefe-geral da Embrapa Pecuária Sudeste.

Desafios

Bancos públicos dispõem de R$ 411 bilhões para financiar projetos verdes

bancos públicos têm recursos destinados a projetos verdes

As discussões sobre como levar todo esse conhecimento para o campo e traduzir isso em práticas mais sustentáveis na produção dominaram as pautas dos Seminários Inovação e Sustentabilidade no Cooperativismo.

Gladyston Carvalho, pesquisador da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), explica que as instituições tem que entender como a vida no campo funciona na prática.

“Muito se fez olhando a planta para cima, o interior da planta, mas pouco se fez estudando o solo”, acrescenta.

“Temos sempre que levar em conta o tripé da sustentabilidade, que é pensar no social, ambiental e econômico. Só assim a gente consegue atingir esse conceito que tanto buscamos”, afirma Feliciano Nogueira, superintendente de inovação da secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais (SEAPA-MG).

Exemplos

Durante os Seminários Inovação e Sustentabilidade no Cooperativismo, três cooperativas mineiras mostraram exemplos de governança ambiental, corporativa e social que tornam as produções mais amigas do meio ambiente.

“O compromisso com a responsabilidade do negócio, de forma a mantê-lo longevo é o que permite as ações ambientais para que elas aconteçam no campo”, aponta Alexandre Monteiro, diretor da ESG Cooxupé, de Guaxupé.

“O que a gente tem que levar para dentro das fazendas dos nossos cooperados é essa responsabilidade que ele tem com o tripé da sustentabilidade, que também é parte da essência do cooperativismo”, acrescenta Leandro Sampaio, gerente de suprimento de leite da CCPR.

“São ideias simples, que dão resultado. Muitas das vezes a gente quer resolver o problema de uma vez só, mas, se cada um fizer um pouco, somando com todas as cooperativas e demais associações, a gente alcança um resultado muito maior”, completa Gilberto Cunha, vice-presidente da Coopatos.

Seminários Inovação e Sustentabilidade no Cooperativismo

Seminários Inovação e Sustentabilidade no Cooperativismo

De acordo com a décima sétima edição do anuário de informações econômicas e sociais do cooperativismo mineiro, publicada pela Ocemg, o estado tem 197 cooperativas agrícolas e cerca de 77 mil cooperados.

Apenas em 2021, elas movimentaram R$ 93 bilhões, o que corresponde a 12% do PIB do Estado.

Agora, o Seminário de Inovação e Sustentabilidade no Cooperativismo segue para Brasília, no dia 24 de agosto.